jeudi, mai 09, 2013

00:16


Não costumo redigir textos com teor lamecha ou a falarem sobre a minha existência como um ser que se limita a seguir os sentimentos ao invés da razão, mas desta vez considerei e achei por bem escrever. Faz-me bem aliviar as mágoas enquanto sofro sozinha. Não totalmente só, corrigindo a frase escrita anteriormente. Sei que desfruto de pessoas com quem posso contar, mas escolho não as importunar com mais uma crise nostálgica minha.
Só acho que não tenho potencial para isto, relações duradouras. Por muito que queira manter. Canso-me da rotina igual. Tenho mudanças imprevistas de humor que fazem com que não resulte. Não exprimo devidamente os meus sentimentos. Tenho um espírito emaranhado, não gosto de cogitar sobre o futuro, vivo simplesmente um dia de cada vez. Mas não percebem o meu ponto de vista. Sinceramente acho que ainda não arranjei a tal, não sei. Talvez nem o tenha. Não sei. 
Não foi inteiramente culpa minha, o sucedido. Nunca me ‘’abri’’ tanto com outro alguém. Posso ter uma personalidade complicada, mas disse-to desde o inicio. E agora ainda reclamas. 
Tu fizeste com que isto acabasse, em parte, atenção. Os avisos eram certos, os meus amigos ao avisarem-me queriam o melhor para mim.
Eu era apenas mais uma flor de colecção no teu campo mas o vento levou-me e não deixou sementes por isso não tenciono lá ficar mais. Por agora vivo debaixo de uma chuva constante que me estilhaçam as pétalas, mas o Verão não tarda a chegar e com ele vem o Sol e eu vou conseguir reconstruir-me.  

3 commentaires:

  1. o texto está lindo... e muita força*

    RépondreSupprimer
  2. Identifico-me, em parte, com este texto. Parabéns pelo teu blog, adorei! E, btw, tens um ótimo gosto musical ao forneceres aí Eddie Vedder aos meus ouvidos (;

    RépondreSupprimer

''Utiliza palavras suaves e argumentos fortes''
Obrigada pela visita